/
/
Portugal: o próximo Tigre Tecnológico?

19 de Outubro, 2022

Portugal: o próximo Tigre Tecnológico?

Estará Portugal prestes a ultrapassar a Estónia como o próximo Tigre Tecnológico? Tudo indica que sim.
Is Portugal about to overtake Estonia as the next Technological Tiger? All indications are that it is.
Leitura: 4 min

Countdown to Web Summit 2022 com Mike Butcher, editor-at-large do TechCrunch.

Fui alertado para um artigo publicado na Nature – a revista internacional da comunidade científica – e os olhos quase me saltaram das órbitas. O título não era propriamente simples. Qualquer coisa sobre “algoritmos de multiplicação de matrizes”. Mas as suas implicações tiveram eco por todo o Twitter: o machine learning está a ficar melhor. Em linguagem corrente: os computadores estão cada vez melhores a ensinar outros computadores a trabalhar mais depressa. Em última análise, tudo está prestes a tornar-se “exponencial” e as implicações para os diferentes setores e países são enormes.

Portugal: o próximo Tigre Tecnológico?

Há alguns anos a expressão “quarta revolução industrial” andou a circular pela boca dos futuristas. Para muitos observadores, era só mais um termo da moda. Sim, os computadores e a internet estavam a criar um novo tipo de revolução industrial. E então?! Mas rapidamente se tornou muito claro que os negócios e a indústria estavam a ser acelerados como nunca foram, e as coisas iriam tornar-se cada vez mais rápidas.

Já começamos a ver isto tornar-se realidade. O termo “computação ubíqua” entrou no léxico, à medida que os computadores nos foram rodeando, nos nossos bolsos, pulsos, carros e eletrodomésticos. Partes significativas da nossa vida têm já a capacidade de ser “smart“, incluindo a iluminação das nossas casas.

Novos tipos de videojogos e experiências estão a surgir sob a forma de Extended Reality (XR). A edição genética e a biologia sintética estão a abordar as doenças do futuro. É inevitável que a nanotecnologia e a “ciência dos materiais” se foquem na crise climática, a par das novas soluções energéticas, como a “fusão” nuclear – tudo desenhado, quem sabe, com a nova computação quântica. Mas mais próximo ainda está o hidrogénio verde, que poderá fornecer energia para o transporte aéreo do futuro.

“Está lançada a corrida. Estará Portugal prestes a ultrapassar a Estónia como o próximo Tigre Tecnológico? Tudo indica que sim.”

Para países como Portugal, a consequência destas tendências é óbvia: no futuro, a dimensão do país e da economia, a escala populacional – nada disso terá importância. Desde que o país consiga capturar o poder da computação e da internet, não há um limite imposto pelo tamanho da economia. E isso já foi demonstrado pelo menos num país europeu: a Estónia.

Com uma população de apenas um milhão, a “E-stonia“, como se tem auto-designado, através da sua política “Tiigrihüpe” (Salto do Tigre), tinha posto 97% das suas escolas online até 1998. Em 2000, a Estónia foi ao ponto de declarar que o acesso à internet é um Direito Humano Fundamental. Isto, quando apenas 1,7% do mundo tinha acesso à internet.

A forma como o país usou as suas políticas de digitalização para alavancar a economia não pode ser subestimada. Graças ao programa “E-residency“, praticamente toda a gente pode abrir uma conta bancária e criar um negócio no país.

Todas estas políticas ajudaram a Estónia a captar grandes empresas tecnológicas, como o Skype, a Wise, a Bolt e a Pipedrive. Hoje, o setor high-tech representa 15% do PIB.

Mas a Estónia não está sozinha. Na Europa, Portugal é o novo “e-miúdo” do bairro.

A Farfetch foi o primeiro unicórnio em Portugal, em 2015, seguido da OutSystems e da Talkdesk em 2018, depois a Feedzai, a Remote, a Sword Health e a Anchorage Digital, em 2021. E a estes, juntam-se a SaltPay, a Unbabel e a Sensei. Portugal está a ultrapassar a Espanha, a Itália e a Grécia, como país de startups tecnológicas.

Além disso, está a tornar-se um destino para os clusters tecnológicos verdes do futuro. Lisboa foi nomeada Capital Verde da Europa em 2020 pela Associação Económica Europeia.

A combinação destas tendências na tecnologia e na atração de empresas está a contribuir fortemente para a economia. Quem precisa de ser um país grande, quando se pode movimentar à velocidade dos computadores mais rápidos do planeta?

Está lançada a corrida. Estará Portugal prestes a ultrapassar a Estónia como o próximo Tigre Tecnológico? Tudo indica que sim.

Artigo de autoria de Mike Butcher, originalmente publicado no jornal Diário de Notícias.

Mike Butcher é jornalista e empreendedor em série. Antes de ser editor-at-large do TechCrunch, contribuiu para a revista Wired, a BBC News, a Sky News, a CNBC, a Al Jazeera e a Bloomberg. Aconselhou primeiros-ministros ingleses e o mayor de Londres no desenho de políticas públicas nas áreas da tecnologia e das startups. Fundou a conferência de empreendedorismo TheEuropas.com. Fundou as organizações não lucrativas Techfugees.com, TechVets.com e Coadec.com. Em 2016, recebeu o título MBE atribuído pela rainha.
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

Autor:

Atlantic Bridge

Você pode gostar também:
Small cities to live in Portugal are synonymous with quality of life

Cidades Pequenas para Morar em Portugal

As cidades pequenas para morar em Portugal são sinônimo de qualidade de vida, segurança e custo de vida mais baixo. Conheça 8 delas.

Autor:

Atlantic Bridge

Leitura: 11 min

5 de Dezembro, 2022

Jovens abraçados: Estatuto de Igualdade

Estatuto de Igualdade de Direitos e Deveres Brasil Portugal

Saiba como funciona o Estatuto de Igualdade de Direito e Deveres, quais as suas vantagens e como solicitar o seu!

Silvia Resende

Autor:

Silvia Resende

Leitura: 5 min

30 de Abril, 2024

Learn which are the best sites for renting a house in Portugal

Alojamento sem burocracia em Portugal: conheça a Uniplaces

Uniplaces is an online platform for finding accommodation in Portugal without bureaucracy, as it does not require guarantors and proof of income.

Autor:

Atlantic Bridge

Leitura: 5 min

30 de Agosto, 2022

Médicos Brasileiros Podem Reconhecer o seu Diploma em Portugal

Autor:

Atlantic Bridge

Leitura: 5 min

27 de Junho, 2018

casal de mãos dadas: quem é casado com espanhol pode pedir cidadania espanhola pelo casamento

Cidadania Espanhola pelo Casamento

A cidadania espanhola pelo casamento é uma modalidade de cidadania por residência. Ou seja, o processo só é possível para cônjuges que, além de manterem a relação formal com um espanhol, também venham residindo na Espanha. Saiba mais!

Silvia Resende

Autor:

Silvia Resende

Leitura: 5 min

10 de Janeiro, 2024

Imigrantes Estrangeiros: problema ou solução para o equilíbrio do Sistema Previdenciário Português?

Autor:

Atlantic Bridge

Leitura: 4 min

24 de Abril, 2019